Autores

A. J. GONÇALVES JR.

EM ELABORAÇÃO.

A.F. CHALMERS

EM ELABORAÇÃO.

ADAM SCHAFF

EM ELABORAÇÃO.

ADOLFO BRAGA NETO

EM ELABORAÇÃO.

ADRIANO SEGAL

EM ELABORAÇÃO.

AFRÂNIO MENDES CATANI

Afrânio Mendes Catani é Bacharel em Administração Pública pela Fundação Getúlio Vargas (São Paulo). Mestre e Doutor em Sociologia pela FFLCH-USP. Foi pro¬fessor na Fundação Getúlio Vargas (1976-80), na Unesp, Campus de Araraquara (1980-85) e na Unicamp (1985-87). Desde o final de 1986, é professor na Faculdade de Educação da USP. Publicou inúmeros artigos em diversos veículos, entre eles: Revista de Administração de Empresas (RAE), Folha de S. Paulo, Leia, Movimento, Filme-Cultura, Sala de Aula, Cultura e Caderno 2 (de O Estado de S. Paulo), Jornal da Tarde, Isto É, D. O. Leitura, Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Educação Brasileira.  

AGENOR DE SOUZA MARTINS

EM ELABORAÇÃO.

ALAIN TOURAINE

EM ELABORAÇÃO.

ALBA ZALUAR

EM ELABORAÇÃO.

ALBANA XAVIER NOGUEIRA

EM ELABORAÇÃO.

ALCIDES PEDRO SABBI

EM ELABORAÇÃO.

ALDAIZA SPOSATI

EM ELABORAÇÃO.

ALEXANDRE PANOSSO NETTO

EM ELABORAÇÃO.

ALVARO CHRISPINO

EM ELABORAÇÃO.

ALVARO L. M. VALLS

EM ELABORAÇÃO.

AMIN MAALOUF

EM ELABORAÇÃO.

ANA MARIA ALFONSO GOLDFARB

EM ELABORAÇÃO.

ANA MARIA R. ESTEVÃO

EM ELABORAÇÃO.

ANDRÉ GAIARSA

EM ELABORAÇÃO.

ANDRE ORLEAN / MICHEL ANGLIETTA

Os dois autores são formados pela Escola Politécnica e pela Escola Nacional de Estatítica e de Administração Econômica. Michel Aglietta, ex-administrador do Instituto Nacional de Estatística e de Estudos Econômicos – França, e professor titular de Ciências Econômicas, é professor da Universidade de Paris X – Nanterre. André Orléan, administrador do Instituto Nacional de Estatística e de Estudos Econômicos – França, é atualmente membro do departamento de pesquisa para a direção das sísteses econômicas do Instituto Nacional de Estatística e de Estudos Econômicos.  

ANGELA MENDES DE ALMEIDA

Ângela Mendes de Almeira é natural da cidade de São Paulo; é formada em Ciências Sociais pela USP e doutora em Ciências Políticas pela Universidade de Paris VIII – Saint-Dennis, com uma tese sobre a história da Internacional Comunista. Exerceu a função de professora universitária em várias faculdades de Lisboa e Porto durante os anos de 1976-79. Atualmente, leciona na Faculdade de Educação da Unicamp.

ANITA LEOCADIA PRESTES

A escritora e historiadora é filha de Luiz Carlos Prestes e Olga Benario Prestes. Teve uma juventude atribulada, marcada por longos períodos no exílio, devido às perseguições políticas de que foi vítima no Brasil. Apesar disso, pôde concluir seus estudos universitários: obteve os títulos de Doutora em Economia pelo Instituto de Ciências Sociais de Moscou (ex-URSS) e de Doutora em História Social pela Universidade Federal Fluminense (UFF), onde defendeu tese sobre a Coluna Prestes, obra que recebeu o prêmio Casa de las Américas, em Cuba. Publicou também os livros Os Militares e a Reação Republicana (As Origens do Tenentismo) (Ed. Vozes, 1994); Uma Epopeia Brasileira: a Coluna Prestes (Ed. Moderna, 1995); Tenentismo pós-30: continuidade ou ruptura? (Ed. Paz e Terra, 1999), Da insurreição armada (1935) à "União Nacional" (1938-1945): a virada tática na política do PCB (Ed. Paz e Terra, 2001) e Luiz Carlos Prestes: patriota, revolucionário, comunista (Ed. Expressão Popular, 2006), assim como capítulos de livros e artigos em revistas especializadas e jornais. Atualmente é professora do Programa de Pós-graduação em História Comparada da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), onde leciona, orienta alunos e desenvolve pesquisas sobre história social e política do Brasil contemporâneo.  

ANITA NOVINSKY

Nascida em Stachov, Polônia, naturalizou-se brasileira. Licenciada em Filosofia e livre-docente em História pela Universidade de São Paulo. Fundadora e Presidente do Laboratório de Estudos sobre a Intolerância da Universidade de São Paulo – (LEI) – e do Museu da Tolerância, a ser construído no campus universitário. Professora visitante em diversas universidades internacionais e nacionais, como Brown University, Rhode Island; Rutgers University, New Brunschvik; Austin University, Texas; “Directeur d’Études” na Ècole des Hautes Études en Sciences Sociales et Sciences Religieuses, Paris. Autora de numerosos artigos publicados em diversos idiomas em revistas especializadas, no estrangeiro e no Brasil, e de inúmeros livros, entre os quais: Gabinete de Investigação: uma “caça aos judeus” sem precedentes – Brasil – Holanda, séculos XVII e XVIII. São Paulo, Editora Humanitas, 2007; Inquisição: prisioneiros do Brasil (séc. XVI-XIX). Rio de Janeiro, Editora Expressão e Cultura, 2002; Cristãos-novos na Bahia. 2ª. Edição. São Paulo, Editora Perspectiva, 1992; Novinsky, Anita e Carneiro, Maria Luiza Tucci (org.) Inquisição: ensaios sobre mentalidades, heresias e arte. Rio de Janeiro, Editora Expressão e Cultura, e São Paulo, Editora da Universidade de São Paulo, 1992; Novinsky, Anita e Kuperman, Diana (org.) Ibéria judaica: Roteiros da memória. Rio de Janeiro, Editora Expressão e Cultura, e São Paulo, Editora da Universidade de São Paulo, 1996; Inquisição – Rol dos culpados, século XVIII. Rio de Janeiro, Editora Expressão e Cultura, 1992; O olhar judaico em Machado de Assis. Rio de Janeiro, Editora Expressão e Cultura, 1990; Inquisição: inventários de bens confiscados a cristãos-novos no Brasil. Lisboa, Editora Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 1978.  

ANTONIO AUGUSTO ARANTES

É professor de antropologia na Unicamp desde 1968, onde tem se dedicado à área de Cultura e Política em cursos de graduação e pós-graduação. Fez parte do Movimento Popular de Arte de São Miguel Paulista, foi Presidente do Condephaat (1983-84) e Secretário Municipal de Cultura de Campinas (1984-89). Publicou diversos artigos em revistas especializadas, e livros como O trabalho e a fala: estudo antropológico sobre os folhetos de cordel, São Paulo: Ed. Kairós/Unicamp, 1982; e Produzindo o passado: estratégias de construção do patrimônio cultural, São Paulo: Brasiliense/SEC, 1984.  

ANTONIO BIVAR

Diretor teatral, dramaturgo, escritor e letrista. Nascido na capital de São Paulo, quando adolescente mudou-se para Ribeirão Preto-SP. Aos 21 anos, entrou para o Conservatório Nacional de Teatro, no Rio de Janeiro- RJ, onde cursou arte dramática. Em 1968, ganhou o Prêmio Molière de melhor autor do ano com as peças "Cordélia Brasil", com Norma Bengell, e "Abre a janela e deixa entrar o ar puro e o sol da manhã". Em 1973 foi convidado por Maria Bethânia para dirigir o show "Drama, luz da noite". Ainda no mesmo ano, dirigiria também Rita Lee no show "Tutti Frutti". Em 1982, organizou o primeiro festival punk brasileiro, "O começo do fim do mundo", realizado nos dias 27 e 28 de novembro no Sesc Pompéia-SP. Publicou, no mesmo ano, o livro O que é punk, pela editora Brasiliense.  

ANTONIO CARLOS RIBEIRO FESTER

Antonio Carlos Ribeiro Fester é mestre em Literatura pela USP, disciplina que ministrou por alguns anos. Integrou várias diretorias da UBE, tendo sido bolsista do VI Curso Interdisciplinar de Direitos Humanos, do Instituto Interamericano de Direitos Humanos, em 1988, em São José da Costa Rica; coordenou, pela Comissão Justiça e Paz de São Paulo, o projeto Educação em Direitos Humanos, na Secretaria da Educação do Município de São Paulo, na gestão Paulo Freire/Mário Sérgio Cortella. (1989-1992). Participou do mesmo projeto, na Secretaria do Estado da Justiça e da Cidadania, do Paraná, no período de 1991-1994. Tem lecionado Direitos Humanos em diversos locais, seja na PUC/SP, como professor convidado; seja no Instituto Sedes Sapientiae; além de proferir palestras por todo o Brasil. Autor, coautor e tradutor de diversos livros sobre Direitos Humanos e/ou Educação, Religião e Ficção, destacando-se Justiça e Paz – Memórias da Comissão de São Paulo, publicado pela editora Loyola em 2005, e O mar tem várias cores, livro de contos publicado pela Duas Cidades em 1979.

ANTONIO CARLOS ROCHA

O autor é natural de Recife, Pernambuco. É Mestre e Doutorando em Ciência da Literatura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Pertence a 17 Academias Literárias, em várias cidades do Brasil, na qualidade de Membro Correspondente. Foi suplente do vice-presidente do Sindicato dos Escritores do Rio de Janeiro, na gestão do Acadêmico Antônio Houaiss. É palestrante e conferencista, participando de aulas, debates e seminários na área de Religiões Comparadas e Filosofia Oriental, em emissoras de rádio, faculdades e colégios, há mais de trinta anos. Foi correspondente internacional (itinerante) do jornal Voz do Povo, de Lisboa, entre 1979 e 1980, atuando na Inglaterra, França, Espanha e Brasil. Foi correspondente da revista francesa L’Impatient, de Paris, em 1980, e no Rio de Janeiro da revista portuguesa A Razão, de Lisboa, entre 1990 e 1995. Na área do Zen e do Budismo, já publicou dez livros, dezenas de artigos e realizou conferências, seminários e cursos. Na área da Literatura, escreveu e publicou matérias diversas na imprensa em geral, principalmente colaborando com o jornal O Globo, no período entre 1983 e 1986. Além disso, tem variados textos em jornais e revistas de Portugal.

ANTONIO DA COSTA CIAMPA

Graduou-se em Psicologia na PUC-SP; foi militante político e presidente do DCE (quando criou o Departamento Teatral dos Estudantes da PUC, que mais tarde veio a se tornar o TUCA). Em 1969 começou a trabalhar em projetos educacionais, e se tornou professor universitário. Buscando uma alternativa que lhe permitisse um engajamento que, ao mesmo tempo, tivesse sentido profissional e político, encontrou isso no campo da Psicologia Social. Tornou-se Mestre em Psicologia Social em 1977, e em 1986 doutorou-se em Psicologia Social, com a tese que se constitui o livro A estória do Severino e a história da Severina, publicado pela Brasiliense.

ANTONIO LAGO / JOSE AUGUSTO PADUA

Antônio Lago e José Augusto Pádua já há alguns anos tomam parte em diversas atividades do movimen¬to ecológico. Atuaram inicialmente no grupo conserva¬cionista carioca Campanha Popular em Defesa da Na¬tureza, participando diretamente, mais tarde, da criação da Cooperativa Ecologista Coonatura, do Comitê de Defesa da Amazônia, da Federação Fluminense das Associações de Defesa do Meio Ambiente e do Grupo Vereda de Ecologia Política. Antônio Lago abandonou uma promissora car¬reira de engenheiro químico para viver os sonhos dos anos 1960. Trabalhando com teatro e dança nos Es¬tados Unidos, foi levado a perceber a profundidade da relação homem/natureza na cultura popular afro-brasileira. Essa percepção o conduziu ao contato com as novas ideias antropológicas e filosóficas que então germinavam, e à descoberta da ecologia. Desde então seu esforço tem sido na direção de aprimorar, com corpo, emoção e pensamento, o significado pes¬soal dessa descoberta. José Augusto Pádua foi secretário do Comitê de Defesa da Amazônia e é membro da Cooperativa Co¬onatura e do Grupo Vereda. Seu interesse pela ecolo¬gia nasceu da percepção de que em plena crise do final do século XX, diante da falência de tantos modelos econômicos e políticos tradicionais, não cabe mais a países como o Brasil ficarem presos a caminhos con¬vencionais de desenvolvimento e, sim, inventarem seu próprio destino, a partir de um amplo debate nacional em que a questão ecológica assuma lugar de primei¬ra importância. Tem desenvolvido essa percepção em nível acadêmico (formou-se em História pela PUC-RJ e faz o mestrado em Ciência Política no Instituto Uni¬versitário de Pesquisas-Iuperj) e vem acompanhando experiências práticas do movimento ecológico no Bra¬sil e na Europa.  

ANTONIO ROBERTO GUGLIELMO

Antonio Roberto Guglielmo nasceu na cidade de São Paulo. Iniciou sua formação universitária no departamento de História da USP e completou-a na Universidade de Haifa, em Israel, onde obteve o bacharelado em Antropologia e Sociologia. Atualmente leciona no ensino secundário e é professor de Hitória Econômica nas Faculdades Santana.

ARAMIS ANTONIO LOPES NETO

Aramis Antonio Lopes Neto é carioca, formado em medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Fez residência médica na especialidade de pediatria, no Instituto de Puericultura e Pediatria Martagão Gesteira. Desde 1979, é médico da Prefeitura do Rio de Janeiro, ocupando atualmente o cargo de Diretor do Centro Municipal de Saúde Milton Fontes Magarão. Como médico pediatra, sua carreira é marcada por duas características principais: sua atuação sempre no serviço público e sua luta permanente pela segurança de crianças e adolescentes, no que diz respeito à prevenção de acidentes e violências. Assim tem sido a sua participação como membro da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e da Sociedade de Pediatria do Estado do Rio de Janeiro (SOPERJ), ocupando espaço como Diretor de Direitos da Criança da SOPERJ, de 1998 a 2009; como Membro do Departamento Científico de Segurança da Criança e do Adolescente da SBP, nos períodos de 1998 a 2003 e de 2007 a 2009; e, atualmente, no cargo de Presidente do Departamento Científico de Segurança da Criança e do Adolescente da SBP, no período 2010/2012. É autor, junto com Lucia Helena Saavedra, do livro “Diga NÃO para o Bullying — Programa de Redução do Comportamento Agressivo entre Estudantes”, produzido pela Associação Brasileira Multiprofissional de Proteção à Infância e à Adolescência — ABRAPIA, 2004 (1ª Ed) e 2008 (2ª Ed). Autor do artigo de revisão “Bullying — Comportamento Agressivo entre Estudantes”, no Jornal de Pediatria da Sociedade Brasileira de Pediatria, em 2006. Teve participação em eventos internacionais sobre o tema bullying, ministrando uma Oficina no II Seminario Internacional Violencia y Infancia, promovido pela Instituicion Márgenes y Vínculos, em Cadiz, Espanha, em 17/3/2005, e como participante da The International Online Conference Coping with School Bullying and Violence Using the Internet, na condição de único brasileiro convidado, no período de 4 de maio a 3 de junho de 2005, promovido pelo projeto Visionaries-Net, patrocinado pelo Programa Sócrates/Minerva da União Europeia. Acessado pelo site http://www.conference.bullying-in-school.info/index.php?id=13.  

ARGELINA M. C. FIGUEIREDO/MARCUS FIGUEIREDO

Argelina Maria Cheibub Figueiredo é doutora em Ciência Política pela Universidade de Chicago; bacharel em Ciências Sociais pela Universidade Federal Fluminense e mestre em Sociologia pela Universidade de São Paulo. Foi professora da Universidade Federal Fluminense. Atualmente é professora do Departamento de Ciências Política da Unicamp e pesquisadora do NEPP/Unicamp e Cebrap. Desenvolve pesquisas sobre justiça local e políticas sociais e sobre o Congresso Nacional. Tem artigos publicados em revistas e coletâneas e é autora do livro Democracia ou Reformas? Coalizões Plíticas no Governo Goulart – 1961-64, Editora Paz e Terra. Marcus Figueiredo é doutor em Ciência Política pela Universidade de São Paulo; fez graduação em Ciência Política na Universidade Federal Fluminense; e mestrado em Ciência Política pelo IUPERJ. Fez cursos de pós-graduação na Universidade de Michigan e Universidade de Chicago. Foi professor da USP e EAESP-FGV e pesquisador sênior do IDESP. Atualmente é professor adjunto do IUPERJ, no Programa de Pós-Graduação em Ciência Política. Tem como temas principais de pesquisa estudos sobre o comportamento eleitoral e teoria política. Além de artigos em revistas e coletâneas, é autor de Legitimidade e Coerção no Brasil Pós-64. Editora Forense, e A Decisão do Voto, Editora Sumaré.  

ARMAND MATTELART / MICHELLE MATTELART

Armand e Michèle Mattelart, produnfos conhecedores da América Latina, são autores de numerosas obras sobre cultura e comunicação publicadas em diversas líguas, dentre as quais podemos destacar: A Cultura contra a Democracia? (em colaboração com X. Delcourt), São Paulo, Brasiliense, 1987; De l´usage des médias en temps de crise (1979) e Penser les médias (1986).

AURELIANO BIANCARELLI

Jornalista, graduou-se pela ECA-USP e iniciou-se profissionalmente na revista Veja, participando da equipe de Mino Carta. Viveu na França de 1976 até retornar ao Brasil, em 1981. Trabalhou dez anos no Jornal da Tarde, quando entrou para acompanhar a guerra das Malvinas. Em 1989 transferiu-se para a Folha de S.Paulo e lá continua como repórter na área de comportamento e saúde. Foi e continua sendo o principal biógrafo da epidemia da AIDS, desde o início dos anos 90.  

AURÉLIO SANTANNA

EM ELABORAÇÃO.

BADER BURIHAN SAWAIA / SILVIA T. MAURER LANE

BADER BURIHAN SAWAIA Doutora em Psicologia Social pela PUC-SP, professora do Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social da PUC-SP e do Programa de Pós-Graduação da EEUSP; Chefe do Departamento de Sociologia da PUC-SP. Autora de artigos em Sociologia, Psicologia Social e Psicologia Comunitária, entre os quais: “Community Social Psychology”, in: Applied Social Psychology: an international review, 1991; “Psicologia: ciência ou política?”, in: Acción y discurso, Maritza Montero, (org.) Venezuela, Eduven, 1991; “Representação e ideologia — um encontro desfetichizado”, in: O conhecimento do cotidiano — as representações sociais na perspectiva do psicólogo social, São Paulo, Brasiliense, 1993; “Cidadão, diversidade e comunidade: um reflexo psicossocial” in: A cidadania em construção: um reflexo transdisciplinar, São Paulo, Cortez, 1994. SILVIA T. MAURER LANE Doutora em Ciências Humanas pela PUC-SP e com estudos de Pós-Graduação na Universidade de Aixen-Provence, França. Foi vice-reitora da PUC-SP e coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social. Publicou livros e artigos sobre Psicologia Social, dentre eles: O que é Psicologia Social, São Paulo, Brasiliense, 1994; Psicologia Social. O homem em movimento, São Paulo, Brasiliense, 1994; “Community Social Psychology”, in: Applied Social Psychology: an international review, 1991; “Psicologia: ciência ou política?”, in: Acción y discurso, Maritza Montero (org.), Venezuela, Eduven, 1991.  

BARBARA FREITAG

Nascida na Alemanha, viveu sua infância e juventude no Brasil. Estudou sociologia, psicologia e filosofia nas universidades de Frankfurt/M. e Berlim. Doutorou-se na Universidade Técnica de Berlim e fez sua livre-docência na Universidade Livre de Berlim. Lecionou nessas e em outras universidades européias. No Brasil, trabalhou na UnB de Brasília (1972-2003) como professora titular, recebendo, em 2006, o título de “Professora Emérita”. Também foi professora visitante da USP, Unesp, UFPR, UFBA, entre outras. Na Unesco, ocupa a cátedra intitulada “Cidade e Meio Ambiente”. Possui inúmeras publicações na Alemanha, França e Brasil, destacando-se seus estudos no campo da política educacional brasileira (Escola, Estado e Sociedade; Sociedade e Consciência; Diário de uma Alfabetizadora); no campo da teoria sociológica (Teoria Crítica: ontem e hoje; Itinerários de Antígona; Dialogando com Jürgen Habermas); no campo da sociologia urbana (Cidade e Literatura, A Cidade dos Homens, Itinerâncias urbanas e Teorias da Cidade, em coedição com a FBN).  

BENEDITO RODRIGUES DE MORAES NETO

Economista formado pela Universidade Metodista de Piracicaba – Unimep, mestre em Economia pelo Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional – Cedeplar, da Universidade Federal de Minas Gerais, e doutor em Economia pelo Instituto de Economia da Unicamp. Foi professor do departamento de economia da Unimep, do Centro de Educação e Ciências Humanas da Universidade Federal de São Carlos e da Escola de Engenharia de São Carlos, da USP. É atualmente professor do departamento de Economia da Universidade Estadual Paulista – Unesp, em Araraquara.

BERENICE BENTO

Pós-doutora em Sociologia. Fez pesquisa para seu doutorado no Brasil (Universidade de Brasília) e Espanha (Universidade de Barcelona). É diretora da Associação Brasileira de Estudos da Homocultura (ABEH), autora do livro A reinvenção do corpo: Sexualidade e gênero na experiência transexual (Rio de Janeiro: Garamond, 2006), co-organizadora de Imagem e diversidade sexual (São Paulo: Nojosa, 2004). Participa de eventos científicos nacionais e internacionais, tem artigos em livros e periódicos.

BRANCA MOREIRA ALVES / JACQUELINE PITANGUY

Branca Moreira Alves Graduou-se em História pela Universidade da Califórnia, Berkeley, e fez mestrado em Ciência Política no Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (Iuperj), defendendo a dissertação “Ideologia e feminismo, a luta da mulher pelo voto no Brasil”. Lecionou no Departamento de Economia da Universidade Cândido Mendes e pertenceu ao quadro de pesquisadores do setor de documentação do Centro de Pesquisas e Documentação da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Rio de Janeiro. Foi promotora de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher do Rio de Janeiro e diretora regional para o Brasil e Cone Sul do Fundo das Nações Unidas para a Mulher (Unifem). Milita no movimento feminista desde 1972. É coautora dos livros A mulher brasileira e Espelho de Vênus: identidade social e sexual da mulher. Jacqueline Pitanguy É socióloga e cientista política. Ocupa o cargo de diretora e fundadora da Cepia desde 1990, onde coordena diversos projetos relacionados a saúde, sexualidade e direitos sexuais e reprodutivos. Entre 1986 e 1989, exerceu o cargo de presidente do Conselho Nacional dos Direitos da Mulher (CNDM). Foi professora da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ) e da Douglas College, Rutgers University, EUA. Coordena, em conjunto com a Prof.ª Alicia Navarro, a disciplina Saber Médico, Corpo e Sexualidade Humana, na Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). É membro de conselhos consultivos de diversas instituições, entre elas Inter-American Dialogue, Society for International Development and of the Global Fund for Women, InternationalHuman Rights Council, UNESCO e Comissão de Cidadania e Reprodução (CCR). Publicou diversos artigos e livros sobre a condição feminina e tem atuado como consultora de instituições do sistema das Nações Unidas, tais como Unicef, Unifem, FAO, Instraw e UNDP.  

CAIO C. BOSCHI

Nasceu em Belo Horizonte, onde licenciou-se em História pela UFMG. Desde então, está vinculado àquela universidade e à PUC-MG: atualmente, na primeira, é professor adjunto do Departamento de História; na segunda, é professor titular, desempenhando função na Pró-reitoria de Pesquisa e de Pós-graduação. Realizou estágios, cursos de especialização e pesquisas em Portugal e na França. Doutorou-se em História Social pela USP. Além de artigos e resenhas em revistas especializadas, tem publicados os seguintes livros: Fontes primárias para a história de Minas Gerais em Portugal, Belo Horizonte, Conselho Estadual de Cultura de Minas Gerais, 1979; Roteiro-sumário dos arquivos portugueses de interesse para o pesquisador da história do Brasil, São Paulo, Ed. Arquivo do Estado, 1986; Os leigos e o poder: irmandades leigas e política colonizadora em Minas Gerais, São Paulo, 1968. Foi presidente da Associação Nacional dos Professores Universitários de História – ANPUH (1985-1987).  

CAIO DA SILVA PRADO JUNIOR

Um dos mais importantes e consagrados intelectuais brasileiros, Caio Prado Junior (1907-1990), nascido em São Paulo, fez seus estudos secundários no Colégio São Luís, bem como em Eastbourne, Inglaterra. Formado em 1928, pela Faculdade de Direito, hoje incorporada à Universidade de São Paulo, obteve nela, em 1956, a livre-docência com a sua tese Diretrizes para uma política econômica brasileira. Em 1943, fundou a Editora Brasiliense. Deputado estadual em 1947, teve seu mandato cassado em consequência do cancelamento do registro do Partido Comunista do Brasil, pelo qual se elegera. Escreveu inúmeras obras, entre as quais alguns clássicos da bibliografoa nacional, como História Econômica do Brasil e Formação do Brasil Contemporâneo. Recebeu o título de Intelectual do Ano pela publicação do livro A Revolução Brasileira, sendo agraciado com o prêmio Juca Pato.  

CAIO NAVARRO DE TOLEDO

EM ELABORAÇÃO.

CAIO TULIO COSTA

Nasceu em Alfenas – MG. Formado em jornalismo pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo-USP, cursou filosofia na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da mesma universidade.      Iniciou no jornalismo através do semanário O Imparcial, de Tupi Paulista – SP. Participou ativamente das experiências em jornalismo estudantil que resultaram na edição dos jornais Dois Pontos (1975-1976) e Avesso (1977-1978). Foi secretário de redação do jornal mensal Leia Livros, editor da Folha Ilustrada e do Folhetim, e correspondente da Folha de S. Paulo em Paris, França.  

CARLOS ALBERTO CERQUEIRA LEMOS

 Nascido na cidade de São Paulo, formou-se arquiteto em 1950, pela Universidade Mackenzie. Durante os anos 1950, participou da equipe de projeto do Parque do Ibirapuera, chefiada por Oscar Niemeyer, tendo dirigido o escritório paulista desse arquiteto carioca. Como artista plástico, participa de exposições desde fins dos anos 1940 (entre outros, os salões do Salão Paulista de Arte Moderna de 1947 e 1948); esteve presente em diversas coletivas como pintor nas décadas de 1960 e 1970: VI, VIII e IX Bienais de São Paulo, Salão Paulista de Arte Moderna (1968), Salão Paulista de Arte Contemporânea (Prêmio Governador do Estado, 1972), entre outros eventos. Professor titular do Departamento de História da Arquitetura e Estética do Projeto, da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, suas atividades como professor e pesquisador contemplam em especial a arquitetura brasileira e a questão da preservação do patrimônio cultural - neste sentido, prestou colaboração profissional ao Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo). É membro do comitê brasileiro do Icomos (International Council of Monuments and Sites) e do Comitê Brasileiro de História da Arte (filiado ao CIHA). Tem trabalhos publicados em revistas e jornais (em especial, como colaborador da Folha de S.Paulo). Publicou diversos livros, entre eles Cozinhas, etc. (São Paulo, Perspectiva, 2ª ed., 1978), Arquitetura brasileira (São Paulo, Melhoramentos, 1979), Escultura colonial brasileira (Munique, Deutsche Übersetzung Editoren Tcam, 1979), O que é arquitetura (São Paulo, Brasiliense, 3ª ed., 1982), O que é patrimônio histórico (São Paulo, Brasiliense, 4ª ed., 1985), Notas sobre a arquitetura tradicional de São Paulo (São Paulo, FAUUSP, 2ª ed., 1984), Alvenaria burguesa (São Paulo, Nobel, 1986), História da casa brasileira (São Paulo, Contexto, 1989), Ramos de Azevedo e seu escritório (São Paulo, Pini, 1993), Casa paulista (São Paulo, Edusp, 1999) e A república ensina a morar (melhor) (São Paulo, Hucitec, 1999).

CARLOS ALBERTO M. PEREIRA

Natural da cidade do Rio de Janeiro, cursou Sociologia no Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da UFRJ. Em 1975, entra para o Museu Nacional da UFRJ, e faz o mestrado em antropologia, elegendo como campo de pesquisa, os impasses de sua geração: defende, em 1980, a tese “Retrato de Época/Um estudo de produção cultural no anos 70”. Atualmente é professor da Escola de Comunicação da UFRJ, prosseguindo na mesma linha de (auto) investigação. Tem os seguintes livros publicados: Patrulhas /Ideológicas – marca reg. (com Heloísa Buarque de Hollanda), Brasiliense; Retrato de Época, Funarte; Poesia Jovem/Anos 70 (com Heloísa Buarque de Holanda), Abril; Televisão (As Imagens e os Sons; No ar, o Brasil), na Coleção “O Nacional e o Popular na Cultura Brasileira” (com Ricardo Miranda), Brasiliense; além das coletâneas: Testemunha Ocular (1979) e O Desafio da Cidade (1980).  

CARLOS ARTHUR NASCIMENTO

Nasceu no Estado do Rio de Janeiro (Micarema), e foi criado em Minas Gerais (Esperança, município de Itabirito). Em 1954, entra para a Ordem Dominicana, na qual permanece por 18 anos. Fez mestrado (1967) e doutorado (1976) em Filosofia Medieval, no Instituto de Estudos Medievais da Universidade de Montreal (Canadá). Publicou algumas traduções e estudos de autores medievais e de Galileu Galilei. Atualmente, é professor do Departamento de Filosofia da PUC-SP.  

CARLOS BENEDITO MARTINS

Carlos Benedito Martins é sociólogo, graduado e mestre em Ciências Sociais pela PUC de São Paulo, onde exerceu durante vários anos atividade docente. Foi coordenador do Departamento de Sociologia daquela universidade no período de 1977 a 1981. É doutor em Sociologia pela Universidade de Paris, onde apresentou a tese “Le Nouvel Enseignement Supérieur Privé au Brésil (1964-1983): rencontre d’une demande sociale et d’une oppórtunité politique”. É autor do livro Ensino pago: um retrato sem retoque, publicado pela Global Editora. Organizou Ensino superior brasileiro: transformações e perspectivas atuais, publicado pela Brasiliense. Atualmente exerce funções de docência e de pesquisa no Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília (UnB), atuando nas áreas de Teoria Sociológica e Sociologia da Educação. É também pesquisador do CNPq.  

CARLOS DAVIDOFF

Carlos Henrique Davidoff é bacharel em História pela Universidade de São Paulo e mestre em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas. Foi aluno de doutorado do curso de pós-graduação do Instituto de Estudos Latino-Americanos da Universidade de Glasgow, Escócia. Em 1975-1976, foi professor de Teoria Política da Escola de Administração de Empresas da Fundação Getúlio Vargas de São Paulo. Atualmente é professor de Sociologia da Universidade Estadual Paulista – Unesp, e membro da Comissão Editorial da revista Perspectivas, de Ciências Sociais, da mesma universidade.  

CARLOS DE MARIGNY

EM ELABORAÇÃO.

CARLOS GARCIA

Nasceu no Recife, e é jornalista profissional desde os 19 anos. Autodidata, tem trabalhado em emissoras de rádio e televisão, jornais e como diretor de documentários cinematográficos. Atualmente, dirige a sucursal do Recife de O Estado de S. Paulo e Jornal da Tarde. 

CARLOS RODRIGUES BRANDÃO

Nasceu na cidade do Rio de Janeiro, onde se formou em Psicologia na PUC. Desde cedo, envolveu-se ativamente na criação de movimentos e centros de cultura popular. Em 1967, ingressou como professor na vida universitária, primeiro em Brasília (UnB), depois em Goiânia (UFG) e finalmente em Campinas (Unicamp). Tornou-se antropólogo, primeiro por conta própria e depois, por meio de cursos na UnB e na USP. Dedica-se hoje a estudos, aulas e pesquisas de antropologia social, mas, desde 1963, participa do debate extrauniversitário dos movimentos e experiências de educação e cultura popular. Escreveu diversas obras, entre as quais, pela editora Brasiliense: Educação popular, identidade e etnia, Pesquisa participante, Repensando a pesquisa participante e, pela coleção Primeiros Passos, O que é educação, O que é educação popular, O que é folclore e O que é método Paulo Freire.  

CASSIA VIGER

Nascida na cidade de Americana, interior de São Paulo. Apaixonada pela educação, a autora formou-se em Pedagogia, concluindo projeto de pesquisa em Literatura Infantil voltada à formação de educadores. Acredita que estimular e proporcionar oportunidades aos educadores quanto ao uso da Literatura Infantil em sua prática docente, contribuirá para a criação de um ambiente escolar acolhedor e propício à aprendizagem. 

CELSO GITAHY

Nasceu na capital de São Paulo, filho de um desenhista publicitário e de uma artista plástica autodidata premiada nacio¬nal e internacionalmente, herdando a sensibilidade artística e o interesse pela arte de seus pais. Cursou a faculdade de Belas Artes de São Paulo, quando conheceu alguns importantes artistas do graffiti, e começou a produzir efetivamente imagens nas ruas. Antes, porém, já havia montado duas instalações, uma na Câmara Municipal de São Paulo, dentro da Semana da Consciência Ecológica, e outra no XI Salão de Artes Plásticas de Taubaté. Elaborou, junto com o professor de ciên¬cias Hernani Facundo, o projeto O Graffiti É Legal, com o apoio da Secretaria Municipal de Educação, que tinha como objetivo incrementar o repertório do pichador oferecendo informações relevantes sobre o tema. Desde então, vem produzindo imagens na rua, participando de exposições, realizando traba¬lhos por encomenda, cenografias para teatro, pro¬ferindo palestras, ministrando oficinas, escrevendo textos e fazendo atividades relacionadas ao grafiti.  

CHRISTIANE WAGNER

 ChristianeWagner é brasileira e alemã. Frequentou a escola de artes e foi aluna da Frankfurter Akademie für Kommunikation, na Alemanha. Retornou ao Brasil e, em São Paulo, estudou na Faculdade de Belas Artes. Dedicou-se ao desenho, às narrativas visuais e à criação de histórias. Fez mestrado em Artes e Cultura na Universidade de São Paulo–USP. Publicou o livro In Art - invenção e artifício. Em 2006, foi premiada em Berlim pela obra gráfica Rhythmus, no concurso internacional Art Campaign. Atualmente, é doutoranda da Universidade de São Paulo–USP, com pesquisa em comunicação visual e configurações da imagem contemporânea. Foi selecionada pela Université Sorbonne–Paris I, para desenvolver sua tese de doutorado em cotutela com a Universidade de São Paulo.

CIRO FLAMARION S. CARDOSO

Nasceu em Goiânia. Cursou História na Universidade Federal do Rio de Janeiro e, depois de lecionar nesta universidade e na Universidade Católica de Petrópolis, fez pós-graduação em História, concluindo o Doutorado na Universidade de Paris X (Nanterre). Foi, em seguida, pesquisador do Programa Centro-Americano de Ciências Sociais, na Costa Rica (1971-1975), e do Instituto Nacional de Antropologia e História, no México (1976-1979). Como professor convidado, lecionou na sede mexicana da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (FLACSO), no Colégio do México, na universidade inglesa de Oxford e na Universidade de Amsterdã. Como professor de quadro, ensinou na Universidade da Costa Rica e na Universidade Nacional, também na Costa Rica. Desde 1979, é professor do Mestrado em História da Universidade Federal Fluminense (Niterói). Obras principais: Historia económica de América Latina, 2 vols. (Barcelona, 1979); Agricultura, escravidão e capitalismo (Petrópolis, 1979), La historia como ciencia (San José, 1975); América pré-Colombiana (Coleção Tudo é História, Brasiliense, 1981) e Introdução à História (Coleção Primeiros Voos, Brasiliense, 1981). Publicou numerosos artigos e capítulos de livros no México, Brasil, França e Inglaterra.  

CLÁUDIO A. KUBRUSLY

Cursou durante alguns anos a faculdade de arquitetura, abandonando-a em nome da dedicação integral à fotografia. Fundou, em 1968, a escola de fotografia Enfoco, à qual se somou, em 1974, a primeira galeria especializada em fotografia do Brasil. Posteriormente, trabalhou junto ao governo do estado de São Paulo, em diversos setores, e foi nomeado presidente da primeira Comissão de Fotografia e Artes Aplicadas do Conselho Estadual de Cultura. Hoje, vive como fotógrafo free-lancer, consultor e escritor.  

CLÉLIA APARECIDA MARTINS

É graduada em Serviço Social pela Universidade de Ribeirão Preto, com mestrado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas e doutorado em Filosofia pela Universidade de São Paulo. Desde 1987, é docente da Faculdade de Filosofia e Ciências da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho-Unesp, especialista em hermenêutica, direitos humanos, Jürgen Habermas e Immanuel Kant.  

CLOVIS MOURA

Clóvis Moura é sociólogo, presidente do IBEA - Instituto Brasileiro de Estudos Africanistas e escritor. Publicou, entre outros, os livros Rebeliões da Senzala, 1959; Introdução ao Pensamento de Euclides da Cunha, 1964; O Preconceito de Cor na Literatura de Cordel, 1976; A Sociologia posta em Questão, 1978; Sacco e Vanzeti: o Protesto Brasileiro, 1979; e Diário da Guerrilha do Araguaia, 1980.  

CLÓVIS ROSSI

Um dos mais consagrados jornalistas brasileiros, Clóvis Rossi nasceu em São Paulo, e formou-se em jornalismo pela Faculdade de Jornalismo Cásper Líbero. Antes mesmo de graduar-se, começou a trabalhar na imprensa, na sucursal de São Paulo do extinto matutino carioca Correio da Manhã. Depois de breves passagens pela revista Autoesporte e pela antiga TV Excelsior, foi contratado por O Estado de S. Paulo, em 1965, e lá exerceu todas as funções jornalísticas: redator, repórter, chefe de reportagem, editor local, editor de esportes, assistente do editor-chefe e editor-chefe. Simultaneamente, dedicou-se, a partir de 1973, à cobertura internacional, que o levou a participar de trabalhos jornalísticos em todos os continentes, exceto a Oceania. Cobriu, entre outros fatos, o golpe militar no Chile (1973), a Revolução dos Cravos, em Portugal (1974), o processo de independência das colônias portuguesas na África, os últimos meses do franquismo e a redemocratização da Espanha (1975 a 1977), o golpe militar na Argentina (1976), importantes etapas da revolução peruana, as eleições presidenciais de 1978 na Venezuela. Também trabalhou no Jornal do Brasil, em Brasília, na revista Isto É e no Jornal da República. Atualmente é contratado da Folha de S. Paulo.  

CRISTOVAM BUARQUE

Nascido no Recife (PE), em 1944, Cristovam Buarque formou-se em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal de Pernambuco em 1966. Em 1973, concluiu seu doutorado em Economia pela Universidade de Paris I - Sorbonne. Entre 1973 e 1979 trabalhou no BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento). Em 1979, ingressou na Universidade de Brasília, onde foi reitor no período de 1985-89 e é professor titular do Departamento de Economia. Fez parte da Comissão Afonso Arinos para elaboração de uma proposta à nova Constituição; foi vice-presidente e presidente da Universidade das Nações Unidas para a Paz; fez parte da Assessoria Técnica do candidato Tancredo Neves; foi chefe de gabinete do Ministério da Justiça no primeiro governo da Nova República; é coordenador da área de educação do governo paralelo do PT (Partido dos Trabalhadores).

DALMO DE ABREU DALLARI

Um dos maiores juristas brasileiros, nasceu em Serra Negra-SP, e ainda na infância mudou-se para São Paulo com a família. Formou-se em Direito na Faculdade de Direito da USP, onde fez pós-gradu¬ação e tornou-se professor da disciplina Teoria Geral do Estado, e posteriormente diretor. Paralelamente à atividade universitária, traba¬lhou como advogado, principalmente em áreas re¬lacionadas com a defesa de direitos humanos, e sobretudo a partir da Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese de São Paulo, da qual foi o primeiro presidente, de 1972 a 1980. Foi eleito para a Comissão Internacional de Juristas, organização não governamental sediada em Genebra, com assento na Comissão de Direitos Humanos da ONU. De agosto de 1990 a dezembro de 1992, foi secretário dos Ne¬gócios Jurídicos do Município de São Paulo. Além de um gran¬de número de artigos em jornais e revistas, tem trabalhos incluídos em várias obras coletivas e publicou os livros O município brasileiro, Da atualização do Estado, Elementos de teoria geral do Estado, O futuro do Estado, O pequeno exército paulista, O renascer do direito, O que são direitos da pessoa, O Estado federal, Viver em socie¬dade e O direito da criança ao respeito, entre outros.  

DANDA PRADO

Bacharel em Pedagogia pela Universidade de São Paulo, especializou-se em Psicologia na Universidade de Columbia, Nova York, em 1967. Nos Estados Unidos, teve grande envolvimento com a causa dos afrodescendentes moradores do bairro do Harlem. Foi para a França em 1970 e, preparando um doutorado, aprofundou suas reflexões sobre os condicionamentos da mulher. Defendeu sua tese em 1977, na Universidade de Paris VII. É autora de diversas obras, entre elas Nossas adoráveis famílias, O que é aborto e O que é família, todas editadas pela Brasiliense.  

DANIEL AARÃO REIS FILHO

Nasceu na cidade do Rio de Janeiro. Graduou-se, no exílio, em História pela Universidade de Paris VII, Jussieu, onde também fez mestrado, defendendo tese sobre a evolução do Estado no Brasil. Foi professor (1976-1979) de História Contemporânea (História das Revoluções Socialistas) na Universidade Eduardo Mondlane em Moçambique, onde foi também chefe do Departamento de História. De volta ao Brasil em 1979, trabalhou no Depar¬tamento de História da EIAP (Escola Interamericana de Administração Pública), onde desenvolveu um trabalho sobre a política governamental em relação à produção de alimentos (1955-1974). É professor de História Contem¬porânea na UFF.  

DANIEL MARTINS DE BARROS

Médico psiquiatra formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), especialista pelo Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas (IPq), onde atua como médico coordenador do Núcleo de Psiquiatria Forense e Psicologia Jurídica (Nufor). É pesquisador do Laboratório de Neuroimagem em Psiquiatria da Faculdade de Medicina da USP, onde desenvolve pesquisas sobre as interfaces entre Saúde Mental e Justiça. Mantém o blog Psiquiatria e Sociedade(psiquiatriaesociedade.wordpress.com)

DEBORA DINIZ

Debora Diniz é antropóloga, professora da Universidade de Brasília. O tema da deficiência passou a fazer parte de sua vida acadêmica e política depois de seu estágio de pós-doutorado na Universidade de Leeds, Inglaterra, em 2000, realizado com o apoio do Conselho Britânico. Em 2002, apoiada pela Fundação MacArthur, participou de um grupo de estudos internacional sobre deficiência e justiça no Sarah Lawrence College, nos Estados Unidos. Atualmente, desenvolve pesquisas sobre deficiência pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

DEBORA DINIZ RODRIGUES / SERGIO COSTA

Debora Diniz é antropóloga, professora da Universidade de Brasília e diretora da Anis: Instituto de Bioética, Direitos Humanos e Gênero. Atualmente é membro do Conselho Diretor da International Association of Bioethics e da International Network on Feminist Approaches. Compõe o conselho editorial de diversos periódicos nacionais e internacionais no campo da bioética. Sérgio Costa é médico, professor do Instituto Camillo Filho e atualmente é um dos coordenadores do I Curso de Especialização em Bioética da região Norte-Nordeste, em Teresina. Foi editor da Revista Bioética e do Jornal Medicina do Conselho Federal de Medicina. É Presidente da Seção Piauí da Sociedade Brasileira de Bioética.  

DEBORA MESSENBERG GUIMARAES

Nascida na cidade do Rio de Janeiro, vive desde a infância em Brasília, onde se graduou em Ciências Sociais na UnB. Nessa mesma instituição, tornou-se mestre em 1990, com a dissertação “Os ‘Novos’ Capitalistas do Agro Brasileiro, Estudo sobre a Burguesia Rural Insdustrializada de Rio Verde”, trabalho laureado com o Prêmio SOBER de 1991 em Sociologia Rural. Em 2000, defendeu a tese de doutorado A Elite Parlamentar do Pós-Constituinte: atores e práticas, no Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP). Atualmente, leciona no Departamento de Sociologia da UnB e desenvolve pesquisas na área de sociologia política.

DENIS L. ROSENFIELD

Nascem em Porto Alegre. Iniciou os estudos universitários na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, mas graduou-se na Universidade Nacional Autônoma do México, em 1975. Prosseguiu os estudos de Filosofia em Paris, onde obteve o Doutorado na Uni¬versidade de Paris I Pantheón – Sorbonne em 1982. Voltou ao Brasil no mesmo ano, tornando-se docente do Departamento de Filosofia e do Curso de Pós-graduação em Filosofia da UFRGS, onde atualmente leciona e desenvolve pesquisas. É pesquisador do CNPq. É autor de obras como Política e liberdade em Hegel (Editora Brasiliense) e Do mal (LPM Editores).  

DENISE DE CAMARGO

Professora de Psicologia Social e Psicologia Escolar na Universidade Federal do Paraná. Mestre em Psicologia Social pela PUC-SP. Elaboradora, em coautoria com o professor Luiz F. R. Bonin, do currículo de Psicologia do Curso de Magistério do Estado do Paraná.

DIRCE GUILHEM

EM ELABORAÇÃO.

DULCE HELENA PENNA SOARES

Nasceu em Cachoeira do Sul, e cresceu em Porto Ale¬gre. Vive em Florianópolis por opção. Estudou Psicologia na UFRGS, onde também fez mestrado em Psicologia Educacional. Estudou na França, morando em Paris e Estrasbourgo, e defendeu a tese de doutorado em Psicologia Clínica “Escolha profissional: projeto dos pais e projeto dos filhos”. Trabalha no Departamento de Psicologia na UFSC, onde é orienta¬dora profissional no SAPSI – Serviço de Atendimento Psico¬lógico, e professora do Programa de Pós-Graduação, onde orienta pesquisas de mestrado e doutorado. É pesquisadora em produtividade do CNPq desde 2006. Coordena o Laboratório de Informação e Orientação Profissional – LIOP, onde realiza pes¬quisa na área de informação e orientação profissional. É membro-fundadora da ABOP – Associação Brasileira de Orientadores Profissionais.  

DULCE MARA CRITELLI

Nasceu na cidade de São Paulo, onde mora. Formou-se em Filosofia na PUC-SP e, na mesma instituição, titulou-se mestre em Filosofia da Educação e doutora em Psicologia da Educação. É também na PUC-SP que leciona desde 1978, hoje como professora titular do Programa de Estudos Pós-Graduados em Filosofia. Sua aproximação com o pensamento heideggeriano deu-se em 1975, quando entrou em contato com a atual Associação Brasileira de Daseinsanalyse. Em 1980, juntamente com Maria Fernanda Beirão e outros professores, fundou o Centro de Estudos Fenomenológicos de São Paulo.  

E.A.CARLINI / JANDIRA MASUR

E. A. Carlini é professor titular de Psicofarmacologia da Escola Paulista de Medicina, onde obteve sua graduação como médico em 1957. É “Master of sciences” pela Yale University e também nos EUA foi “Visiting research professor” da Mount Sinai School of Medicine, Nova York. Entre diversas atividades na área científica ligada ao estudo das drogas, podemos citar, no plano internacional: consultor da American Student Association for the Study of Hallucinogens; membro do Collegium Internationale Neuropsychopharmacologicum; membro da Internacional Brain Research Organization; membro (3º mandato) do “Expert Committe on Drug Dependence”, W.H.O., Genebra. No Brasil: membro do Conselho Nacional da Saúde do Ministério da Saúde; ex-membro do conselho federal de entorpecentes do Ministério da Justiça; ex-presidente, eleito por duas gestões, da Sociedade Brasileira de Psicobiologia. Jandira Masur (1940-1990), formada em Psicologia pela USP e doutora em Psicofarmacologia pela Escola Paulista de Medicina, foi presidente da Associação Brasileira de Estudos do Álcool e do Alcoolismo (ABEAA), assessora do Pronal (Programa Nacional de Controle dos Problemas Relacionados com o Consumo do Álcool) do Ministério da Saúde e professora adjunta da Escola Paulista de Medicina, onde exerceu também o cargo de vice-chefe do Departamento de Psicobiologia.  

EDGAR SALVADORI DE DECCA

Edgar Salvadori de Decca concluiu o doutorado em História Social pela Universidade de São Paulo em 1979. Atualmente é professor Titular da Universidade Estadual de Campinas, e foi Pró-Reitor de Graduação no período de 2005 a 2009. Também é membro de conselho consultivo da revista Estudos Históricos da Fundação Getúlio Vargas - RJ, membro de conselho editorial da revista de História da Universidade Estadual de Maringá, membro de conselho editorial da revista de História da Universidade Federal de Santa Catarina, membro do conselho consultivo de revista de História da Universidade Estadual de Ponta Grossa e membro de conselho editorial da revista de História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Publicou 26 artigos em periódicos especializados e 40 trabalhos em anais de eventos. Possui 36 capítulos de livros e 9 livros publicados. Atua na área de História, com ênfase em História do Brasil República.

EDSON PASSETTI

Nascido na capital paulista, graduou-se em Ciências Sociais na PUC-SP, onde concluiu mestrado em Ciências Políticas. É professor do Departamento de Ciência Política da PUC. Publicou, em coautoria, O Mundo do Menor Infrantor e dois artigos sobre política e loucura, após convivência com o internos do Manicômio Judiciário de Franco da Rocha, São Paulo. Pertence ao Movimento em Defesa do Menor, que objetiva defender os direitos de jovens e crianças e que se localiza no bairro de Pinheiros, em São Paulo, SP.  

EDUARDO EHLERS

É diretor de graduação do Centro Universitário Senac, em São Paulo. Forma¬do em Engenharia Agronômica pela Universidade de São Paulo, concluiu seu mestrado sobre agricultura sustentável em 1994, no programa de pós-graduação em Ciência Ambiental da USP. Em 2003, doutorou-se pelo mesmo programa com tese sobre desenvolvimento rural. Trabalhou no serviço de apoio local da Funda¬ção Interamericana (IAF), organização do governo norte-americano que apoia projetos de desenvolvi¬mento na América Latina. Em 1995 começou sua carreira no Senac São Paulo como professor, foi co¬ordenador do curso de Gestão Ambiental e diretor de Extensão Universitária. Desde 1997, é professor de pós-graduação da Fundação Getúlio Vargas – FGV na área de Administração do Terceiro Setor e, mais recentemente, na área de Gestão da Sustentabilidade. Dentre os livros e artigos publicados, destacam-se: Agricultura sustentável: origens e pers¬pectivas de um novo paradigma, 1999; e o capítulo sobre “Agricultura sustentável” da Agenda 21 Brasi¬leira 2000 (coautor). Participou de vários conselhos, tais como: Associação de Agricultura Orgânica, Conselho Superior de Meio Ambiente da FIESP e Conse¬lho Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da cidade de São Paulo. Atualmente é membro do Conselho Deliberativo da Estação Ciên¬cia, da Universidade de São Paulo.  

Eduardo F.P. Moreira

EM ELABORAÇÃO.

EDUARDO HOORNAERT

Nasceu em Bruges, na Bélgica. Estudou línguas clássicas na Universidade de Lovaina e teologia em preparação ao sacerdócio católico, entre 1951 e 1955. Em 1958, viajou ao Brasil (João Pessoa). Foi professor catedrático em História da Igreja, sucessivamente nos institutos de teologia de João Pessoa (1958-1964), Recife (1964-1982), e Fortaleza (1982- 1991). É membro fundador da Comissão de Estudos da História da Igreja na América Latina (CEHILA). Entre 1994 e 1997, foi pesquisador visitante no mestrado de História da Universidade Federal da Bahia.

ELIANA A. CARDOSO

EM ELABORAÇÃO.

ELIANE LAGE

EM ELABORAÇÃO.

ELISABETH MADER DO AMARAL GURGEL

EM ELABORAÇÃO.

EMÍLIO FIGUEIRA

EM ELABORAÇÃO.

EMIR SADER

EM ELABORAÇÃO.

ENI DE MESQUITA SAMARA

EM ELABORAÇÃO.

ENI PUCCINELLI ORLANDI

EM ELABORAÇÃO.

ENIO SQUEFF

EM ELABORAÇÃO.

ERNST WOLFGANG HAMBURGER

EM ELABORAÇÃO.

EVELINA DAGNINO

EM ELABORAÇÃO.

EVERARDO ROCHA

EM ELABORAÇÃO.

FERNANDA POMPEU

EM ELABORAÇÃO.

FERNANDO A. PIRES

EM ELABORAÇÃO.

FERNANDO CLAUDIO PRESTES MOTTA

EM ELABORAÇÃO.

FERNANDO PEIXOTO

EM ELABORAÇÃO.

FLAVIA DANTAS

EM ELABORAÇÃO.

FLAVIO TOLEDO

EM ELABORAÇÃO.

FLORESTAN FERNANDES

EM ELABORAÇÃO.

FRANCISCCO WHITAKER FERREIRA

EM ELABORAÇÃO.

FRANCISCO FALCON

EM ELABORAÇÃO.

FRANCISCO FERNANDO MONTEOLIVA DORATIOTO

EM ELABORAÇÃO.

FRANCISCO IGLESIAS

EM ELABORAÇÃO.

FRANCISCO JOSÉ PEREIRA

EM ELABORAÇÃO.

FRANÇOIS LAPLANTINE

EM ELABORAÇÃO.

FREDERICK LEBOYER

EM ELABORAÇÃO.

FREDERICO CARSTENS

EM ELABORAÇÃO.

GEIR CAMPOS

EM ELABORAÇÃO.

GERARD LEBRUN

EM ELABORAÇÃO.

GILBERTO DIMENSTEIN

EM ELABORAÇÃO.

GILBERTO MARCOS ANTONIO RODRIGUES

EM ELABORAÇÃO.

GILLES DELEUZE

EM ELABORAÇÃO.

GILVANDO SA LEITÃO RIOS

EM ELABORAÇÃO.

GLAYDSON JOSÉ DA SILVA

EM ELABORAÇÃO.

GUDRUN FISCHER

EM ELABORAÇÃO.

GUSTAVO CONTRUCCI

EM ELABORAÇÃO.

HÉLIA SONIA RAPHAEL

EM ELABORAÇÃO.

HÉLIO DANIEL CORDEIRO

EM ELABORAÇÃO.

HERBERT S. KLEIN

EM ELABORAÇÃO.

HILÁRIO FRANCO JR.

EM ELABORAÇÃO.

HORACIO GONZALES

EM ELABORAÇÃO.

IARA DE ALMEIDA PINTO

EM ELABORAÇÃO.

IRAY CARONE

Professora assistente-doutora do Departamento de Aprendizagem, Desenvolvimento e Personalidade do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo-USP.

ITALO TRONCA

EM ELABORAÇÃO.

IVONE GEBARA

EM ELABORAÇÃO.

JACOB GORENDER

EM ELABORAÇÃO.

JACQUELINE DUPUY COUTURIER

EM ELABORAÇÃO.

JAIR FERREIRA DOS SANTOS

EM ELABORAÇÃO.

JAMIL ALMANSUR HADDAD

EM ELABORAÇÃO.

JANDIRA MASUR

EM ELABORAÇÃO.

JANE ARAUJO

EM ELABORAÇÃO.

JEAN BAPTISTE NARDI

EM ELABORAÇÃO.

JEAN BAUDRILLARD

EM ELABORAÇÃO.

JEAN M. CARVALHO FRANCA

EM ELABORAÇÃO.

JEAN-CLAUDE BERNARDET

Professor de História do Cinema Brasileiro na Universidade de Brasília (UnB) e na Universidade de São Paulo (USP). Ator esporádico em filmes, tais como P. S. Post-Scriptum, de Romain Lesage; Disaster movie, de Wilson Barros; A cor dos pássaros, de Herbert Brodl. Roteirista de filmes como O caso dos irmãos Naves, de Luiz Sérgio Person. Francês, nascido no sul da Bélgica em 1936 e naturalizado brasileiro 28 anos depois, ou seja, 15 anos após ter chegado ao Brasil.  

JOÃO B. CINTRA RIBAS

EM ELABORAÇÃO.

JOÃO CLODOMIRO DO CARMO

EM ELABORAÇÃO.

JOÃO DA PENHA

EM ELABORAÇÃO.

JOÃO FRANCISCO DUARTE JR.

EM ELABORAÇÃO.

JOÃO FRANCISCO REGIS DE MORAIS

EM ELABORAÇÃO.

JOÃO FRAYZE PEREIRA

EM ELABORAÇÃO.

JOÃO RIBEIRO JR.

EM ELABORAÇÃO.

JOÃO RICARDO W. DORNELLES

EM ELABORAÇÃO.

JOEL ARNALDO PONTIN

EM ELABORAÇÃO.

JOEL RUFINO DOS SANTOS

EM ELABORAÇÃO.

JORGE COLI

EM ELABORAÇÃO.

JOSÉ ADELINO MEDEIROS

EM ELABORAÇÃO.

JOSÉ AUGUSTO DRUMMOND

EM ELABORAÇÃO.

JOSÉ AUGUSTO PÁDUA

EM ELABORAÇÃO.

JOSÉ CARLOS DE ASSUMPÇÃO

EM ELABORAÇÃO.

JOSÉ ENIO CASALECCHI

EM ELABORAÇÃO.

JOSÉ ÊNIO CASALECCHI

EM ELABORAÇÃO.

JOSÉ GRAZIANO DA SILVA

EM ELABORAÇÃO.

JOSÉ JOBSON DE ANDRADE ARRUDA

EM ELABORAÇÃO.

JOSÉ JOTA MESSIAS MORAES

EM ELABORAÇÃO.

JOSÉ LUIZ DE SOUZA MARANHÃO

EM ELABORAÇÃO.

JOSÉ LUIZ DOS SANTOS

EM ELABORAÇÃO.

JOSÉ MIGUEL WISNIK

EM ELABORAÇÃO.

JOSÉ PAULO NETTO

EM ELABORAÇÃO.

JOSÉ ROBERTO CAMPOS

EM ELABORAÇÃO.

JOSÉ ROBERTO DO AMARAL LAPA

EM ELABORAÇÃO.

JOSÉ TEIXEIRA COELHO NETTO

EM ELABORAÇÃO.

JOSEPH M. LUYTEN

EM ELABORAÇÃO.

JOSUÉ RIOS

EM ELABORAÇÃO.

JUAN ALFREDO CÉSAR MULLER

EM ELABORAÇÃO.

JUAN E. DIAZ BORDENAVE

EM ELABORAÇÃO.

JULIANA VILAR

EM ELABORAÇÃO.

JULIO JOSÉ CHIAVENATO

EM ELABORAÇÃO.

JULIO TRAVIESO SERRANO

EM ELABORAÇÃO.

JULITA SCARANO

EM ELABORAÇÃO.

KÁTIA DE QUEIROS MATTOSO

EM ELABORAÇÃO.

KURT KLOETZEL

EM ELABORAÇÃO.

LADISLAU DOWBOR

Ladislau Dowbor nasceu na França, em 1941, de pais poloneses que emigraram para o Brasil depois da Segunda Guerra Mundial. Passou a infância em João Monlevade, onde seu pai era engenheiro da Belgo-Mineira. Em 1956 radicou-se em São Paulo, onde vive até hoje. Em 1964 viajou para a Suíça, onde se formou em economia política, pela Universidade de Lausanne. Voltou ao Brasil em 1968 e participou ativamente do movimento de oposição ao regime, sendo banido em 1970. Passou 11 anos no exilio. Durante esse período, viveu dois anos fazendo pesquisa na Argélia, três anos na Polônia, onde se doutorou em ciências econômicas pela Escola Central de Planificação e Estatística de Varsóvia, e dois anos em Portugal, onde foi professor da Universidade de Coimbra. Em 1979, foi nomeado conselheiro técnico principal das Nações Unidas para a Planificação do Desenvolvimento, participando de negociações com o Banco Mundial, FMI, Comecon e outros organismos internacionais. A partir de 1979, trabalhou como consultor do secretário-geral das Nações Unidas para assuntos de economias em crise. Anistiado, voltou ao Brasil em 1981, e trabalha atualmente como professor titular em economia e administração na pós-graduação da PUC de São Paulo. É autor de cerca de 40 livros próprios e em colaboração.

LAURA DE MELLO E SOUZA

EM ELABORAÇÃO.

LÉA MARIA PILEGGI MULLER

EM ELABORAÇÃO.

LEANDRO KONDER

EM ELABORAÇÃO.

LEON POMER

EM ELABORAÇÃO.

LIA REGINA CASTALDI SAMPAIO

EM ELABORAÇÃO.

LIANA TRINDADE

EM ELABORAÇÃO.

LIGIA CADEMARTORI

EM ELABORAÇÃO.

LUCIA CASTELLO BRANCO

EM ELABORAÇÃO.

LÚCIA SANTAELLA

EM ELABORAÇÃO.

LUCIANA NOBILE

EM ELABORAÇÃO.

LUCIANO OLIVEIRA

EM ELABORAÇÃO.

LUCILIA ATAS MEDEIROS

EM ELABORAÇÃO.

LUIS A. CABELLO

EM ELABORAÇÃO.

LUÍS GONZAGA MATTOS MONTEIRO

Psicólogo, mestre em Sociologia Política, doutorando em Psicologia Social na PUC-SP, professor do Centro de Arte (CEART) da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc).

LUIZ BERNARDO PERICAS

EM ELABORAÇÃO.

LUIZ EDUARDO W. WANDERLEY

EM ELABORAÇÃO.

LUIZ O. LIMA CAMARGO

EM ELABORAÇÃO.

LUIZ ROBERTO SALINAS FORTES

EM ELABORAÇÃO.

LUZIA DE MARIA RODRIGUES REIS

EM ELABORAÇÃO.

Luzia Margareth Rago

EM ELABORAÇÃO.

M. Vovelle

EM ELABORAÇÃO.

Magali Engel

EM ELABORAÇÃO.

Manoel Tubino

EM ELABORAÇÃO.

MARCEL MARTIN

EM ELABORAÇÃO.

Marcelo Grondin

EM ELABORAÇÃO.

Marcio Bilharinho Naves

EM ELABORAÇÃO.

MARCIO MANCINI

EM ELABORAÇÃO.

Marcio Pochmann

EM ELABORAÇÃO.

Marco Adolfs

EM ELABORAÇÃO.

Marco Antonio Zanfra

EM ELABORAÇÃO.

Marcos A. Da Silva

EM ELABORAÇÃO.

MARCOS ANTONIO LOPES

EM ELABORAÇÃO.

MARCOS DE CARVALHO

EM ELABORAÇÃO.

MARCOS DRUMOND JUNIOR

EM ELABORAÇÃO.

MARCOS REIGOTA

EM ELABORAÇÃO.

MARCUS FIGUEIREDO

EM ELABORAÇÃO.

MARGARET BAKOS

EM ELABORAÇÃO.

MARIA A. BANCHS

Professora da Escuela de Psicologia, Universidad Central de Venezuela.

MARIA AMELIA DE ALMEIDA TELES

EM ELABORAÇÃO.

MARIA AUXILIADORA GUZZO DE DECCA

EM ELABORAÇÃO.

MARIA BEATRIZ B. FLORENZANO

EM ELABORAÇÃO.

MARIA CÉLIA WIDER

EM ELABORAÇÃO.

MARIA CLEMENTINA PEREIRA CUNHA

EM ELABORAÇÃO.

MARIA DE LOURDES M. JANOTTI

EM ELABORAÇÃO.

MARIA DE LOURDES MANZINI COVRE

Maria de Lourdes Manzini Covre é cientista social, docente da USP e da PUC. Desenvolveu atividades de pesquisa e docência junto à Universidade de Bolonha. É autora de vários livros, destacando-se A cidadania que não temos (organizadora; Brasiliense, 1986), Educação, tecnocracia e democratização (Ática, 1990), A formação e ideologia do administrador de empresas (Cortez, ed. revista e ampliada, 1991), e O que é cidadania (Brasiliense, 1991).  

MARIA HELENA MARTINS

EM ELABORAÇÃO.

MARIA ISAURA PEREIRA DE QUEIROZ

EM ELABORAÇÃO.

MARIA JOSÉ DE LIMA

EM ELABORAÇÃO.

MARIA LAURA SILVEIRA

EM ELABORAÇÃO.

MARIA LIGIA PRADO

EM ELABORAÇÃO.

MARIA LUISA CORASSIN

EM ELABORAÇÃO.

MARIA LUISA DE ALMEIDA PASCHKES

EM ELABORAÇÃO.

MARIA LUIZA DIAS

EM ELABORAÇÃO.

MARIA LUIZA SILVEIRA TELES

EM ELABORAÇÃO.

MARIA NADEGE DE SOUZA

EM ELABORAÇÃO.

MARIA ODILA LEITE SILVA DIAS

EM ELABORAÇÃO.

MARIA STELLA M. BRESCIANI

EM ELABORAÇÃO.

MARIA TERESA HORTA

EM ELABORAÇÃO.

MARIA TERESA NIDELCOFF

EM ELABORAÇÃO.

MARIA THEREZA FRAGA ROCCO

EM ELABORAÇÃO.

MARIA VICTÓRIA MESQUITA BENEVIDES

EM ELABORAÇÃO.

MARIA YEDDA LINHARES

EM ELABORAÇÃO.

MARILENA CHAUÍ

Marilena Chauí é professora de História da Filosofia e de Filosofia Política da Universidade de São Paulo-USP.  Foi secretária Municipal de Cultura de São Paulo no governo de Luiza Erundina (1989-1992). Presidiu a Associa¬ção Nacional de Pós-Graduação em Filosofia (Anpof, gestão 1998-2000). É presidente da Associação de Estudos Filosó¬ficos do Século XVII, colaboradora em revistas acadêmicas brasileiras e estrangeiras, e escreve para jornais brasileiros de grande circulação.  Escreve trabalhos de filosofia para estudantes do se¬gundo grau e da graduação universitária. Tem livros publi¬cados sobre o pensamento dos filósofos Merleau-Ponty e Espinosa e sobre o Brasil.  

MARILENA LAZZARINI

EM ELABORAÇÃO.

MARILIA BERNARDES MARQUES

EM ELABORAÇÃO.

MÁRIO FERREIRA

EM ELABORAÇÃO.

MÁRIO VALE

EM ELABORAÇÃO.

MARITZA MONTERO

Psicóloga pela Universidad Central de Venezuela, Mestre em Psicologia pela Universidade Simón Bolívar (Venezuela) e doutora em Sociologia pela Universidade de Paris, Ecole des Hautes Etúdes em Sciences Sociales. Publicou diversos livros e artigos sobre psicologia social e psicologia política. Organizou os livros Psicologia Política latinoamericana e Acción y discurso — problemas de Psicologia Política en América Latina, 1991. Atualmente é diretora de Pós-Graduação da Universidad Central de Venezuela.

MARTA M. CHAGAS DE CARVALHO

EM ELABORAÇÃO.

MARY DEL PRIORE

EM ELABORAÇÃO.

MARY JANE SPINK

EM ELABORAÇÃO.

MASSIMO CANEVACCI

EM ELABORAÇÃO.

MAURO WILTON DE SOUSA

EM ELABORAÇÃO.

MICHEL BEAUD

EM ELABORAÇÃO.

MIRIAM PORTELA

EM ELABORAÇÃO.

MODESTO FLORENZANO

EM ELABORAÇÃO.

MONALISA ARIKAWA

EM ELABORAÇÃO.

MONICA DE MELO

EM ELABORAÇÃO.

MÓNICA HAYDÉE GALANO

Professora do Núcleo de Família e Comunidade, Departamento de Pós-Graduação em Psicologia Clínica, da PUC-SP.

NACIR SALES

EM ELABORAÇÃO.

NANCI VALADARES DE CARVALHO

EM ELABORAÇÃO.

NÉLIO MARCO

EM ELABORAÇÃO.

NILO ODALIA

EM ELABORAÇÃO.

NORBERTO BOBBIO

EM ELABORAÇÃO.

OCTAVIO IANNI

EM ELABORAÇÃO.

OLGÁRIA C.F. MATTOS

EM ELABORAÇÃO.

ORLANDO SENNA

EM ELABORAÇÃO.

OSMAR PINTO JR.

EM ELABORAÇÃO.

OTAVIANO PEREIRA

EM ELABORAÇÃO.

PAULO GHIRALDELLI JR.

EM ELABORAÇÃO.

PAULO HUMBERTO URBAN PIMENTEL

EM ELABORAÇÃO.

PAULO LEMINSKI

EM ELABORAÇÃO.

PAULO NAKATANI

EM ELABORAÇÃO.

PAULO NASSAR

EM ELABORAÇÃO.

PAULO NOGUEIRA

EM ELABORAÇÃO.

PAULO ROBERTO RAYMUNDO

EM ELABORAÇÃO.

PAULO SALLES

EM ELABORAÇÃO.

PAULO SANDRONI

EM ELABORAÇÃO.

PAULO SÉRGIO DE CAMARGO

EM ELABORAÇÃO.

PAULO TEIXEIRA IUMATTI

EM ELABORAÇÃO.

PEDRO CÉZAR DUTRA FONSECA

EM ELABORAÇÃO.

PEDRO PAULO FUNARI

EM ELABORAÇÃO.

PEDRO PUNTONI

EM ELABORAÇÃO.

PEDRO SÉRGIO DOS SANTOS

EM ELABORAÇÃO.

PETER LOUIS EISENBERG

EM ELABORAÇÃO.

PIERRE BOURDIEU

EM ELABORAÇÃO.

PLATÃO EUGENIO CARVALHO

EM ELABORAÇÃO.

RABAH BENAKOUCHE

EM ELABORAÇÃO.

RAIMUNDO SANTOS

EM ELABORAÇÃO.

RAQUEL ROLNIK

EM ELABORAÇÃO.

RAUL PREBISCH

EM ELABORAÇÃO.

RENATA BRAUNE

EM ELABORAÇÃO.

RENATA PALLOTTINI

EM ELABORAÇÃO.

RENATO ORTIZ

Renato Ortiz nasceu em Ribeirão Preto, São Paulo, em 1947. Estudou na Escola Politécnica (USP) entre 1966 e 1969. Formou-se em Sociologia pela Universidade de Paris VIII e doutorou-se em Sociologia e Antropologia pela École des Hautes Études en Sciences Sociales (Paris). Foi professor da Universidade de Louvain (1974-1975), da UFMG (1977-1984) e do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da PUC-SP (1985-1988). Atualmente é Professor Titular do Departamento de Sociologia da Unicamp. Foi pesquisador do Latin American Institute da Universidade de Columbia, do Kellog Institute de Notre Dame, professor visitante da Escuela de Antropologia, no México, e Titular da Cátedra Simon bolívar do Institut des Hautes Études en Amérique Latine. É autor dos livros A Consciência Fragmentada (Paz e Terra), Pierre Bourdieu (Ática), Cultura Brasileira e Identidade Nacional (Brasiliense), A Moderna Tradição Brasileira (Brasiliense), A Morte Branca do Feiticeiro Negro: Umbanda e Sociedade Brasileira (Brasiliense), Cultura e Modernidade (Brasiliense), Românticos e Folcloristas (Olho D’Água), Mundialização e Cultura (Brasiliense), Um Outro Território: Ensaios sobre a Mundialização (Olho D’Água), O Próximo e o Distante: Japão e Modernidade – Mundo (Brasiliense) e Mundialização: Saberes e Crenças (Brasiliense).  

RICARDO ABRAMOVAY

EM ELABORAÇÃO.

RICARDO MARANHÃO

EM ELABORAÇÃO.

RITA MOREIRA

EM ELABORAÇÃO.

ROBERT SMITH

EM ELABORAÇÃO.

ROBERTO CATELLI JUNIOR

EM ELABORAÇÃO.

ROBERTO LYRA FILHO

EM ELABORAÇÃO.

ROBERTO MUGGIATI

EM ELABORAÇÃO.

ROBERTO NUMERIANO

EM ELABORAÇÃO.

ROBERTO RIBEIRO MARTINS

EM ELABORAÇÃO.

ROBERTO SMITH

EM ELABORAÇÃO.

RODOLPHO CANIATTO

EM ELABORAÇÃO.

ROGÉRIO DURST DE MORAES

EM ELABORAÇÃO.

RONALDO WADA

EM ELABORAÇÃO.

ROSA M. MARQUES

EM ELABORAÇÃO.

ROSISKA DARCY DE OLIVEIRA

EM ELABORAÇÃO.

ROSSANO FLEITH

EM ELABORAÇÃO.

RUBENS FIGUEIREDO

EM ELABORAÇÃO.

RUY MOREIRA

EM ELABORAÇÃO.

SAMIR THOMAZ

EM ELABORAÇÃO.

SAMUEL SÉRGIO SALINAS

EM ELABORAÇÃO.

SANDRA C. A. PELEGRINI

EM ELABORAÇÃO.

SANDRA JATAHY PESAVENTO

EM ELABORAÇÃO.

SCARLETT MARTON

EM ELABORAÇÃO.

SCOTT MAINWARING

EM ELABORAÇÃO.

SEBASTIÃO SQUIRRA

EM ELABORAÇÃO.

SÉRGIO BAIRON

EM ELABORAÇÃO.

SÉRGIO MASSARO

EM ELABORAÇÃO.

SILVIA CINTRA FRANCO

EM ELABORAÇÃO.

SILVIA FRIEDMAN

Professora do Curso de Fonoaudiologia da PUC-SP. Mestrado e Doutorado em Psicologia Social pela PUC-SP. Fonoaudióloga clínica.

SILVIA MOREIRA

EM ELABORAÇÃO.

SILVIA T. MAURER LANE

EM ELABORAÇÃO.

SONIA DE AMORIM MASCARO

EM ELABORAÇÃO.

SONIA M. BERGAMASCO

EM ELABORAÇÃO.

SONIA VIEIRA

EM ELABORAÇÃO.

SUELY ROBLES REIS QUEIROZ

EM ELABORAÇÃO.

SUZANA ALBORNOZ

EM ELABORAÇÃO.

TÂNIA NAVARRO SWAIN

EM ELABORAÇÃO.

TATIANA ALVES SOARES

EM ELABORAÇÃO.

TATIANA BELINKY

EM ELABORAÇÃO.

VALMIR FRANCISCO MURARO

EM ELABORAÇÃO.

VAVY PACHECO BORGES

EM ELABORAÇÃO.

VERA HERCILIA FARIA P. BORGES

EM ELABORAÇÃO.

VERA LÚCIA AMARAL FERLINI

EM ELABORAÇÃO.

VICENTE DE PAULA FALEIROS

EM ELABORAÇÃO.

VIDAL SERRANO JR.

EM ELABORAÇÃO.

VITO GIANOTTI

EM ELABORAÇÃO.

VITOR MARINHO

EM ELABORAÇÃO.

VIVINA DE ASSIS VIANA MANSUR

EM ELABORAÇÃO.

WALDENYR CALDAS

EM ELABORAÇÃO.

WALDIR FREITAS OLIVEIRA

EM ELABORAÇÃO.

WALESKA

EM ELABORAÇÃO.

WALTER BENJAMIN

EM ELABORAÇÃO.

WALTER VETILLO

EM ELABORAÇÃO.

WANDERLEY CODO

EM ELABORAÇÃO.

WILHELM REICH

EM ELABORAÇÃO.

WILSON A. SENNE

EM ELABORAÇÃO.

WILTON AZEVEDO

EM ELABORAÇÃO.

WOLFGANG LEO MAAR

EM ELABORAÇÃO.

ZILA BERND

EM ELABORAÇÃO.
+55 11 3062.2700
Atendimento
Seg. a Sexta das 8:30 às 17:30
comercial@editorabrasiliense.com.br
editorial@editorabrasiliense.com.br
Rua Antonio de Barros, 1839 - Tatuapé
São Paulo - SP - CEP 03401-001 - Brasil